O que é ovário Policístico, Sintomas e Tratamentos

Para toda a mulher é importante saber como diagnosticar o problema de ovário policistico, o que é, e os sintomas, este que é um distúrbio relativamente comum e que atinge cerca de 20% das mulheres, pelo fato de interferir no processo normal de ovulação. O problema é proveniente da formação de cistos causada justamente pelo desequilíbrio hormonal que acontece no organismo feminino.

Na SOP ou seja Síndrome dos Ovários Policísticos, acontece que a cada período de ovulação, aparecem os cistos nos ovários, fazendo com que estes se tornem até 3 vezes maiores do que o normal, dando uma estrutura totalmente anormal ao órgão, mas estes desaparecem a cada ciclo.

O problema acontece justamente porque a produção de hormônios masculinos, os androgênios, é excessiva. E ainda acontece de a mulher que tem este problema geralmente apresentar um ciclo irregular.

Mas o que causa o Distúrbio de Ovário Policístico

Apesar de os fatores que levam a este problema não serem completamente claros, o que se sabe é que tem a ver com a hereditariedade. Se alguma mulher na família tiver o distúrbio, as chances de acontecer é de 50% em média. Mesmo não tendo absoluta comprovação do fato, o que se entende que isto tem uma forte associação com a produção de insulina no sangue, o que poderia provocar este desequilíbrio dos hormônios.

ovário policistico

Quais são os sintomas do Distúrbio de Ovário Policístico

Os principais sintomas do Distúrbio de Ovário Policístico podem estar em:

  • Dificuldade para engravidar

  • Ciclos menstruais irregulares

  • Ovulação com pouca frequência

Mas é importante atentar ao fato de que este distúrbio pode levar ao desenvolvimento de doenças como a obesidade, o diabete do tipo 2 e ainda a problemas cardiovasculares. Isso tudo se deve ao excesso de hormônio masculino no organismo feminino. Perceba alguns sinais de que isso acontece:

  • Crescimento excessivo de pelos em algumas regiões do corpo como seios, baixo ventre, buço e queixo.

  • Pele excessivamente oleosa e o aparecimento de espinhas e acnes.

  • O aumento do peso corporal

  • A queda capilar

  • Obesidade

  • E manchas escuras na pele, especialmente em pontos estratégicos como axilas e nuca.

Obs.: é importante ressaltar de que algumas mulheres podem ser assintomáticas. No entanto o problema geralmente é detectado entre 20 ou 30 anos, apesar de os sintomas já aparecerem logo nos primeiros ciclos menstruais.

Como detectar o Distúrbio de Ovário Policístico

Para diagnosticar o problema, são necessários vários exames como:

  • Exames da tireoide e da glândula supra renal

  • Dosagens dos hormônios LH, FSH, TSH, SDHE, Estradiol, Testosterona total, 17 – OH progesterona. Estes exames devem ser realizados entre o 2º e o 3º dias do ciclo menstrual para garantir a eficiência.

  • Ainda é preciso realizar um ultrassom pélvico.

  • E, curva de insulina associada á curva de glicemia.

Qual é o tratamento utilizado para o Distúrbio de Ovário Policístico

Normalmente o tratamento é feito através de medicamentos, e a prescrição será de acordo com o grau do quadro apresentado pela paciente. Entre os tratamentos mais comuns estão:

  • Anéis vaginais

  • Pílulas anticoncepcionais – para mulheres que não querem engravidar, o uso da pílula é sempre muito indicado, pois ajudará no controle hormonal, beneficiando em todos os aspectos que se referem a este problema. Algumas mulheres que não podem fazer o tratamento através de pílulas podem adotar um tratamento a base de progesterona.

  • E implantes que inclusive podem proteger a mulher contra os microcistos nos ovários, reduzindo também as taxas de insulina no sangue e de hormônios masculinos.

  • Cirurgia – é um tratamento que tem perdido força devido a eficiência das pílulas anticoncepcionais.

Obs.: quando a mulher deseja engravidar, deve antes fazer um tratamento com anticoncepcionais para regularizar o ciclo menstrual, o que é de grande importância, pois depois do ciclo regularizado, as chances de gravidez são bem maiores.

  • Medicamentos contra a insulina – os antidiabetogênicos orais são receitados nos casos de alto grau de insulina no sangue e se porventura a mulher estiver grávida, poderá usar este medicamento até a 36ª semana de gravidez, sem risco algum ao bebe ou a mãe.

  • Indução ovular – depois de ter afastada qualquer outra causa de infertilidade, o médico poderá indicar um tratamento de clomífeno que induzirá a ovulação. Mas este é um tratamento que deve ser feito somente por mulheres que tem o real desejo de engravidar.

Para mulheres que não tem o problema dos pelos corporais, o tratamento pode ser a base de progestagênios sintéticos, um medicamento que se assemelha bastante a progesterona ou se não for o caso de querer uma gravidez, apostar nos contraceptivos orais. É importante também saber que a mulheres que está na menopausa ou sofra de fatores de risco como doenças do coração os dos vasos sanguíneos. Podem também ser administrados a fim de evitar o cancro do endométrio devido a alta taxa de estrogênio.

Já as mulheres que enfrentam o problema dos pelos pelo corpo, existem tratamentos a base de contraceptivos orais e outros medicamentos como a espironolactona que age bloqueando a produção hormonal masculina, mas existem efeitos colaterais como hemorragias, mamas doloridas e diminuição da pressão arterial.

Por outro lado, você pode adotar outros tratamentos para inibir o aparecimento de pelos pelo corpo como ceras, líquidos ou cremes de depilação, eletrólise e outros métodos.

Como prevenir o Distúrbio de Ovário Policístico

Esse que é um distúrbio endócrino, faz com que a mulher produza mais hormônio masculino do que o normal, e o principal problema causado é justamente a dificuldade de engravidar.

Dieta para prevenção

Entre outros cuidados, é de suma importância a mulher manter uma dieta saudável, leve, e livre de açúcares e gorduras. Para evitar a obesidade é importante ainda associar a isso os exercícios físicos diários. Quanto aos cuidados da pele, é legal adotar cosméticos que combatam e evitem o aparecimento de acnes e espinhas.

As mulheres que apresentam obesidade, colesterol alto, glicemia e descontrole da pressão arterial, pertencem a um grupo de risco que deve seguir rigorosamente a dieta saudável, exercícios e acompanhamento médico constante.

Para evitar problemas mais graves como a infertilidade, é de suma importância ter sempre o total acompanhamento médico.

A diferença entre ovários policísticos e cistos nos ovários

Toda mulher possui 2 ovários um de cada lado que são órgãos capazes de produzir os hormônios como estrogênio, progesterona e androgênios. Estes primeiros são controlados por outros hormônios da hipófise como o luteinizante(LH) e o folículo estimulante(FSH) fundamentais tanto na regulação dos folículos como também na regulação da ovulação.

Hoje cerca de 20 a 30% das mulheres sofrem do problema conhecido como cistos nos ovários que se dão em idade de reprodução, por isso é muito raro acontecerem em mulheres na menopausa ou em crianças.

Cistos funcionais

Os chamados cistos funcionais são os mais comuns, e são aqueles que aparecem e desaparecem, dependendo da variação do ciclo menstrual, e normalmente não percepção alguma de que isso acontece.

Os cistos ovarianos podem aparecer em um ou nos dois ovários na forma de pequenas vesículas de água que podem causar dor na região baixa da barriga, mas sem ter relação alguma com a menstruação.

Diferentes da Síndrome dos Ovários Policísticos, estes não causam nenhum problema do tipo obesidade, desequilíbrio hormonal, alteração menstrual e outros. E, quase sempre somente são detectados quando em exames de ultrassom ou numa cesárea.

Quando medindo aproximadamente 60 milímetros, o tratamento indicado geralmente é a base de anovulatórios orais. Mas quando ultrapassam a esta medida de 60 milímetros, deve acontecer um procedimento cirúrgico que pode ser por laparotomia em casos onde a paciente não sofra de obesidade nem o cisto esteja muito grande.

Por outro lado como já tratamos acima, os ovários policísticos são caracterizados por ovários com tamanho aumentado onde aparecem diversas bolsas com material pastoso ou líquido, causadas e acompanhadas de diversas alterações hormonais.

O grande e tão temido problema enfrentado pelas mulheres está relacionado a impossibilidade de engravidar, mas é importante saber que na maioria dos casos, pode ser mais complicada a gravidez, mas é possível sim, uma gravidez de sucesso.

Recomendações finais

  • Seja regular nas suas consultas e exames ginecológicos. e para ser mais garantido, procure um ginecologista endócrino.

  • Não se descuide, pois quem tem este problema de ovários policísticos, pode desenvolver problemas cardiovasculares ao chegar a menopausa.

  • A obesidade só agrava a situação, então controle seu peso.

  • Atente as irregularidades menstruais e comunique ao seu médico.

  • Nunca tome anticoncepcionais sem orientação médica, pois poderá gerar graves consequências.

  • Aliás não tome nenhum medicamento sem orientação médica.

Então, agora você já sabe basicamente tudo sobre este assunto, é só ficar esperta e se cuidar.

Leia também